segunda-feira, 8 de outubro de 2018

AMILTON LELO

Pedro Amilton Vieira (Amilton Lelo), nasceu em Rio Verde, no estado de Goiás. Iniciou a carreira cantando em dupla, usando o pseudônimo de "Romancinho", formando a dupla "Romancinho e Roxito". Gravou um disco 78 rpm no selo Astor. Na segunda tentativa, Amilton Lelo formou dupla com outro conterrâneo seu, jovem aspirante a também seguir a carreira artística, chamado Odaés Rosa da Silva e usava o pseudônimo de Rosenito. Em 1964, a dupla "Romancinho e Rosenito" gravou pela gravadora Palhoça um compacto simples com as músicas "Prendinha Querida" e "Negra Solidão". Sua última tentativa em cantar de dueto foi com sua esposa legítima, da qual era separado, "Romancinho e Roselinda". Depois seguiu carreira solo, gravando canções apaixonadas. Ficou conhecido nacionalmente como "O Cancioneiro Apaixonado". Tornou-se um ídolo nacional, vendeu milhões de discos, encantou platéias pelo Brasil inteiro. Foi assasinado em Goiânia (Jardim América), em 06 de junho de 1979, por um irmão da mulher com quem ele mantinha um relacionamento. Amilton Lelo está sepultado no Cemitério Jardim das Palmeiras em Goiânia, na galeria dos artistas, e recebe uma legião de fãs todos os anos. Texto: Sandra Cristina Peripato Fonte: Marrequinho De: Recanto Caipira

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

GARCIA E ZÉ MATÃO

Benedito Francisco Alves (Zé Matão) nasceu em Palestina, no interior do estado de São Paulo, no dia 20 de agosto de 1938. Filho de Sinézio Francisco Alves e D. Maria Julia Alves. Ainda criança começou a executar diversos instrumentos. Aos seis, tocava cavaquinho e aos oito, viola e violão. Aos 13 anos, formou com seu irmão mais velho uma dupla com o nome de Cardosinho e Caçula. Por volta de 1956 na cidade de São José do Rio Preto/SP, o jovem Domingos Roberto Garcia (Garcia) vagava pelas ruas e em dado momento ouviu duas vozes melodiosas e afinadas, entoando uma linda melodia. Aproximou-se e ficou a observar os dois cantadores: Benedito Francisco Alves (Zé Matão) e seu irmão José Alves. Se tornaram grandes amigos. Numa certa ocasião, Garcia e Zé Matão cantaram juntos numa festinha e daí foram quase que forçados pelos presentes a continuarem unidos na carreira. Vieram para São Paulo em 1957 e gravaram um disco de 78 rpm, alcançando estrondoso sucesso com a música "Rio Preto de Luto". Logo após veio um LP que os projetou bastante. Atuaram nas rádios Tupi, Difusora e Nove de Julho. Em 1966 gravaram na RCA Víctor o disco "Festa de Violeiro", com destaque para "Floral". A dupla perdurou por 18 anos, com sucessos como "Dama de Branco", "Gato e Sapato", "Arrependida" e "Tapinha de Amor". Desfeita a dupla, gravou discos com vários outros nomes. Texto: Sandra Cristina Peripato De: Recanto Caipira

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

AS MINEIRINHAS

Sandra Oliveira nasceu em Uberlândia, no estado de Minas Gerais, em 09 de novembro de 1962 e Valéria Barros, nasceu também em Uberlândia/MG em 06 de julho de 1968. Com um repertório romântico, fazendo uso da beleza e da sensualidade, em suas apresentações, tem entre seus sucessos, "Abra o Coração", de Fátima Leão e Elias Muniz, "Não me Deixe Faltar Amor", de César Augusto, César Rossini e Lucas Robles, "Te Quero, Te Adoro", de César Rossini e Piska, "Não Diga Adeus Jamais", de Tivas e Rock, "Porque Fugiu de Mim", de Fátima Leão e Valéria, "Só Quero te Dizer", de Joel Marques, "Gato me Ama", de Valdir Luz e Jefferson Farias, "Não Sei Tirar Você de Mim", de Elias Muniz e Maracaí e "Por uma Aventura", "Fantástica Loucura" e "Abusa de Mim", as três de Elias Muniz. Em 1999, lançaram o CD "Agarra, Agarra", com destaque para a música título, de Maria da Paz e J. Moreno. De: Recanto Caipira

ARLINDO BÉTTIO

Arlindo Béttio nasceu em 1920. Compositor, instrumentista, sanfoneiro, irmão do radialista e sanfoneiro José Béttio e do comunicador Oswald...