quarta-feira, 28 de agosto de 2019

BANDA: SEMPRE LIVRE

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Sempre Livre é uma banda brasileira de pop rock criada no Rio de Janeiro e formada só por mulheres. O nome do grupo faz menção a uma marca célebre de absorventes femininos. O Sempre Livre venceu num território tradicionalmente masculino, o território do rock. Não são raras as intérpretes que incorporam o rock a seus repertórios, mas, no Brasil, jamais se havia assistido à consagração de um grupo feminino em que suas integrantes cantam a agenda livre (...). Na matéria "Uma Batucada de Rock", de 1985, a revista Veja comentou sobre o sucesso até então inédito para um grupo feminino no Brasil, ao passo que no exterior já havia bandas similares a algum tempo, tais quais The Runaways e Girlschool. Em 1984, o Sempre Livre lançou seu primeiro disco, intitulado Avião de Combate e produzido por Ruban, o mesmo produtor do grupo As Frenéticas. O vinil logo se tornaria um grande sucesso por causa da música tema "Eu Sou Free", uma parceria de Ruban com Patrícya Travassos, que se tornou um dos grandes sucessos da década de 80. Em 1986, viria outro disco, Sempre Livre. Em 1991, a banda volta com o disco Vícios de Cidade e uma formação que, da original, só mantinha a baterista.[carece de fontes] Em 2016 lançaram o novo álbum A Boa Moça. Formações: Primeira (1984–1986) Dulce Quental (voz) Márcia Gonçalves (guitarra, violão e vocal) Flávia Cavaca (baixo e vocal) Lúcia Lopes (Bateria e vocal) Lelete Pantoja (teclado e vocal) Segunda (1986–1989) Tonia Schubert (voz) Rosana Piegaia (guitarra e vocal) Flávia Araújo (baixo e vocal) Lúcia Lopes (bateria) Sônia Bonfá (teclado e vocal) Terceira (1989–1990) Anne Duá (voz) Loyd (guitarra e vocal) Flávia Cavaca (baixo e vocal) Lúcia Lopes (bateria) Valéria de Souza (percussão) Denise Mastrangelo (teclado e vocal) Quarta (2010) Denise Mastrangelo (voz) Louise Rabello (guitarra e vocal) Lúcia Lopes (bateria) Cléo Boechat (teclado e vocal) Quinta (2015–atual) Anne Duá (voz) Renata Prieto (guitarra e vocal) Flávia Cavaca (baixo e vocal) Leticia Andrade (bateria) Denise Mastrangelo (teclado e vocal)

BENEDITO SEVIÉRO

Benedito Onofre Seviéro, nasceu em 20 de outubro de 1931 na cidade de Boa Esperança do Sul, no interior do estado de São Paulo. Começou compor aos 18 anos. Sua primeira música composta em 1949 foi "Santa Cruz da Serra” e gravada em 1952; uma lembrança das santas missões realizada em 1949 quando foi erguido o cruzeiro em Trabijú, que na época era distrito de Boa Esperança do Sul, e em 1997 tornou-se município. Já ultrapassou 2.000 músicas gravadas e regravadas, com mais de trezentos intérpretes. Entre seus grandes sucessos destacamos "Alma de Boêmio” com Tião Carreiro e Pardinho, "Alma Inocente” com Zilo e Zalo, "Taça da Dor” com Pedro Bento e Zé da Estrada, "Último Adeus” com Trio Parada Dura, "Saudade Noturna” com Milionário e José Rico, "Pranto Amargo” com Tibagi e Miltinho, "Meu Casamento” com Caçula e Marinheiro”, "Rainha do Meu Coração” com Silveira e Barrinha”, "Peão Vira-Mundo” com Campanha e Cuibano, "Troféu de Dor” com Gino e Geno, "Dinheiro Maldito” com Mizael e Valdery, "Noite de Plantão” com Barreirito, "O Mesmo Castigo” com Ronaldo Viola e Praiano, “Não Posso Acreditar” com Ronaldo Adriano, "Mulher Avião” com Carlito e Baduí, "Boêmio Colarinho Branco” com Chico Rey e Paraná, "Eu Disse Não” com Duduca e Dalvan, "Trinta Dias de Saudade” com Solevante e Soleni, "Tardes de Amor” com Mococa e Paraíso, "Nossa Música” com João Paulo e Daniel, "O Dinheiro Compra Tudo” com Chitãozinho e Xororó, “Mulher de Ninguém” com Paiozinho e Zé Tapera, "Não Amo Ninguém” com Teodoro e Sampaio, "Duelo de Amor” com Matogrosso e Mathias, "O Abajur” com Gilberto e Gilmar, "Amanhã ou Depois” com Cézar e Paulinho, "Teu Adeus” com Belmonte e Amaraí, "No Ponteio da Viola” com Peão Carreiro e Zé Paulo, "Luz Vermelha” com Zico e Zéca, "Velha Querência” com Liu e Léu, "Noite de Angústia” com Rudy e Roney, "Mão de Deus” com Wellinton e Willian, "Excursão ao Paraná” com Preferido e Predileto, "Negócio de Sócio” com Sérgio Reis, "Cabana” com Lourenço e Lourival, "Moderno Absurdo” com João Carlos e Bruno, "Caso Sobrenatural” com Galvão e Gallati, “Espuma da Cerveja” com Gian e Giovani, "Mulher Boa” com Teodoro e Sampaio, "Meu Amor Fugiu de Mim” com Juliano Cézar, "Som de Cristal” com Joaquim e Manoel, “Boate Azul” com Joaquim e Manoel, sendo regravada por mais de trinta vezes, entre tantos outros. A música “Boate Azul” foi escrita em novembro de 1963, mas devido a ditadura de abril de 1964, ela foi censurada e proibida sua comercialização, sendo liberada somente em 1980 no final da Ditadura Militar. Entre seus principais parceiros de música, destacamos: Ronaldo Adriano, Muniz Teixeira, Luiz de Castro, Miltinho Rodrigues, Sebastião Victor, Teddy Vieira, Waldermar de Freitas Assunção, Aparecido Tomaz de Oliveira (Tomáz), Paraíso, José Ferreira Lemos (Nízio), Jesus Belmiro, Nelson Gomes, José Homero, Goiá, Tião Carreiro, Sulino, Sebastião Aurélio, Dino Franco, Peão Carreiro, José Russo, Tony Gomide, Milton José Cristofani, Tião do Carro, Jeca Mineiro, Comendador Biguá, Jotinha dos Santos, entre outros. Morreu na manhã do dia 20 de janeiro de 2016, aos 84 anos, vítima de infarto. Texto: Sandra Cristina Peripato Fonte: Benedito Seviero TIRADO DE RECANTO CAIPIRA

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

TONY DAMITO

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Tony Damito, Antonio Damião da Silva, (Dom Silvério, MG — Camboriú, abril de 2004 foi um cantor e compositor brasileiro. É melhor lembrado por sua canção "Não Vá Embora", que foi sua canção de maior sucesso, se tornando conhecida em todo o Brasil. O disco que contém "Não Vá Embora" vendeu em torno de 2 milhões de cópias. Ficou popular entre 1970 e 1980, cantando músicas do estilo brega. Seu primeiro compacto foi lançado em 1969 pela gravadora Caravelle. Durante os anos 1980, era convidado frequente de programas como “Programa do Chacrinha” “Programa Silvio Santos”, “Clube dos Artistas”, “Domingão do Faustão”, “Programa do Gugu”, “Programa Raul Gil”, e “Globo de Ouro”.[4] Mais de 500 composições de Tony foram gravadas por diversos artistas, como Waldick Soriano, Lourenço e Lourival, Nalva Aguiar, Lindomar Castilho, Chitaozinho e Xororó, etc. Em 2000, sua canção "Gut-gut" foi parodiada no programa Hermes & Renato.[4] Em 2013, Sérgio Reis gravou a canção "Meu Lugar", de Tony Damito e Meirecler, lançada no álbum Questão de Tempo (Radar Records). Após anos de carreira, Tony Damito se tornou evangélico, chegando a gravar um álbum gospel em 2004. Faleceu no mesmo ano.

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

AMILTON LELO

Pedro Amilton Vieira (Amilton Lelo), nasceu em Rio Verde, no estado de Goiás. Iniciou a carreira cantando em dupla, usando o pseudônimo de "Romancinho", formando a dupla "Romancinho e Roxito". Gravou um disco 78 rpm no selo Astor. Na segunda tentativa, Amilton Lelo formou dupla com outro conterrâneo seu, jovem aspirante a também seguir a carreira artística, chamado Odaés Rosa da Silva e usava o pseudônimo de Rosenito. Em 1964, a dupla "Romancinho e Rosenito" gravou pela gravadora Palhoça um compacto simples com as músicas "Prendinha Querida" e "Negra Solidão". Sua última tentativa em cantar de dueto foi com sua esposa legítima, da qual era separado, "Romancinho e Roselinda". Depois seguiu carreira solo, gravando canções apaixonadas. Ficou conhecido nacionalmente como "O Cancioneiro Apaixonado". Tornou-se um ídolo nacional, vendeu milhões de discos, encantou platéias pelo Brasil inteiro. Foi assasinado em Goiânia (Jardim América), em 06 de junho de 1979, por um irmão da mulher com quem ele mantinha um relacionamento. Amilton Lelo está sepultado no Cemitério Jardim das Palmeiras em Goiânia, na galeria dos artistas, e recebe uma legião de fãs todos os anos. Texto: Sandra Cristina Peripato Fonte: Marrequinho RECANTO CAIPIRA

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

ARLINDO PINTO

Arlindo Pinto dos Santos nasceu em São Paulo/SP, no dia 19 de setembro de 1906 e faleceu na capital paulista no dia 29 de abril de 1968. Tendo trabalhado como gráfico, Arlindo Pinto adquiriu o gosto pela leitura e começou a escrever versos e paródias, os quais apresentava em diversas festas, circos e teatros. Arlindo também interpretou monólogos de sua própria autoria no Teatro de Comédia. Em 1928, Arlindo passou a fazer parte da Guarda Civil de São Paulo, tendo permanecido durante 25 anos na Corporação. Ao final da década de 1940, Arlindo Pinto já vinha sendo considerado como um dos mais importantes compositores sertanejos. Sua primeira composição gravada foi a moda "Desafio Nº 2", interpretada pela Nhá Zefa. Em 1945, sua composição "Alô Mister Johnny" em parceria com Hélio Sindô foi gravada pela dupla Brinquinho e Brioso. E em 1947, a música "Vaqueiro de Verdade" em parceria com Anacleto Rosas Jr foi gravado por Monte Alegre e, nesse mesmo ano, Tonico e Tinoco gravaram as modas de viola "A Cruz do Caminho" e "Boiadeiro Entrevado", ambas de sua autoria em parceria com Anacleto Rosas Jr e Geraldo Costa. Tonico e Tinoco gravaram em 1949 a música "Rancho Vazio" de sua autoria em parceria com Anacleto Rosas Jr e, na mesma época, Sólon Sales gravou "Segue Teu Caminho", de sua autoria em parceria com Mário Zan, composição esta que foi um dos primeiros grandes sucessos de autoria de Arlindo Pinto. Arlindo teve também diversas de suas composições gravadas pela dupla " Palmeira e Luizinho", tais como "Marcaremos Casamento", "O Estoro da Boiada", "Chico Raimundo" e "Bom Jesus de Pirapora". A cantora Inhana gravou em 1949 o baião "O Segredo Está no Molho". Em 1953, Luizinho e Limeira gravaram "Gaúcho Amigo", enquanto que Palmeira e Biá gravaram "O Preço do Pecado" no mesmo ano. E foi no ano seguinte, 1954, que Mário Zan lançou pela gravadora RCA Víctor o rasqueado "Chalana" de sua autoria em parceria com Mário Zan, que foi sem dúvida o maior sucesso de Arlindo Pinto como compositor, e que também foi gravado por inúmeros intérpretes, tais como Tonico e Tinoco, Trio da Vitória, Irmãs Castro, Irmãs Galvão, Suzamar, Pena Branca e Xavantinho, Sérgio Reis, Almir Sater, Alzira e Tetê Espindola, Inezita Barroso, Roberto Corrêa, Helena Meirelles, Pereira da Viola, Mazinho Quevedo, Nestor da Viola, Enúbio Queiroz, Zé do Rancho, Luís Bourdon e Hélio Rios, entre outros. Outros dois grandes sucessos de sua autoria foram a valsa "Cantando", gravada em 1957 pelo Duo Irmãs Celeste e o rasqueado "Baldrana Macia", gravada por Luiz Gonzaga em 1961. Arlindo Pinto contou com diversos parceiros na composição, mas seu maior parceiro foi sem dúvida Anacleto Rosas Jr. Texto: Sandra Cristina Peripato ---------Recanto Caipira

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

AS MINEIRINHAS

Sandra Oliveira nasceu em Uberlândia, no estado de Minas Gerais, em 09 de novembro de 1962 e Valéria Barros, nasceu também em Uberlândia/MG em 06 de julho de 1968. Com um repertório romântico, fazendo uso da beleza e da sensualidade, em suas apresentações, tem entre seus sucessos, "Abra o Coração", de Fátima Leão e Elias Muniz, "Não me Deixe Faltar Amor", de César Augusto, César Rossini e Lucas Robles, "Te Quero, Te Adoro", de César Rossini e Piska, "Não Diga Adeus Jamais", de Tivas e Rock, "Porque Fugiu de Mim", de Fátima Leão e Valéria, "Só Quero te Dizer", de Joel Marques, "Gato me Ama", de Valdir Luz e Jefferson Farias, "Não Sei Tirar Você de Mim", de Elias Muniz e Maracaí e "Por uma Aventura", "Fantástica Loucura" e "Abusa de Mim", as três de Elias Muniz. Em 1999, lançaram o CD "Agarra, Agarra", com destaque para a música título, de Maria da Paz e J. Moreno. Recanto Caipira

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

ZÉ PAIÓÇA

Fernandes Bortolon, o Zé Paioça, nasceu na cidade de Tangará, no estado de Santa Catarina, em 29 de junho de 1933 e faleceu em Curitiba/PR, cidade onde viveu boa parte de sua vida, dedicada à música, ao rádio e também ao teatro. Filho de Nathália Rana Bortolon e João Bortolon. Artista completo, além de poeta, Zé Paioça foi também declamador, animador, violeiro, cantador e ator de teatro, o que lhe conferiu em 1958 o Prêmio "Máscara de Ouro", por ter sido considerado o melhor ator do ano na capital paranaense, cidade que Zé Paioça escolheu para residir, após o período em que morou na capital paulista, onde atuou durante quatro anos na Rádio Nacional e na TV Paulista Canal 5. Sua estréia no Rádio se deu na Nacional de São Paulo (hoje Rádio Globo), ao lado da dupla Tonico e Tinoco. Zé Paioça também cantou em dupla com Rancho Alegre, na capital paranaense, onde o compositor passou a morar a partir de março de 1957, onde também se destacou na Rádio Tingüi do Paraná e na Rádio Clube Paranaense (PRB-2). Na Rádio Clube Paranaense, o programa matutino "Galpão de Violeiros" era apresentado por "Oswaldinho e Vieirinha", uma das duplas sertanejas mais famosas do estado do Paraná e, com o falecimento prematuro dos dois integrantes da dupla, num acidente de trânsito em 1957, o comando do programa ficou com Zé Paioça, que já tinha seu talento reconhecido como poeta e declamador sertanejo. Foi em Curitiba, no ano de 1958, que Zé Paioça, representando um dos mais importantes papéis na peça teatral "Seu Nome Era Joana" (que retratava a vida de Santa Joana D' Arc), foi aclamado pela crítica e reconhecido como o melhor ator teatral de 1958, o que lhe valeu o cobiçado Prêmio "Máscara de Ouro". Texto: Sandra Cristina Peripato ----------Recanto Caipira

ARLINDO BÉTTIO

Arlindo Béttio nasceu em 1920. Compositor, instrumentista, sanfoneiro, irmão do radialista e sanfoneiro José Béttio e do comunicador Oswald...